Como ficar protegido após fim do suporte SQL Server 2008?

Tempo de leitura: 5 minutos

A Microsoft anunciou o fim do suporte SQL Server 2008 em  9 de julho de 2019.  Outra data que também se aproxima é o 14 de janeiro de 2020, quando o Windows Server  e Windows 7  também deixarão de receber as atualizações da companhia.

Separei alguns pontos importantes e alguns vou aprofundar melhor em outros Posts e Webinars:

  1. Como funciona o ciclo de vida dos Softwares Microsoft?

Ao lançar uma nova versão, serão considerados  10 anos de suporte (no mínimo 5 anos de suporte base e no mínimo 5 anos de suporte estendido) no nível do service pack com suporte para produtos de sistema operacional para empresas, desenvolvedores e desktops.

O fim do suporte SQL Server 2008 e SQL Server 2008 R2, foi encerrado, oficialmente  em 2014, quando a Microsoft parou de disponibilizar novas atualizações de segurança e correção de bugs, a partir desta data foi disponibilizado apenas o suporte estendido.

Porém, quem tem o Software Assurance (Manutenção da Licença) ainda tem direito ao Suporte Estendido à Hotfix (Atualizações fora do escopo de segurança). E quem possui contrato EA (Enterprise Agrement),  ainda tem o privilégio de poder comprar o Suporte estendido após a data final do suporte de forma anual. Este suporte já está disponível pra venda desde março de 2019.

2. Perda de Segurança e Compliance

Estaremos falando melhor do fim do suporte Sql Server 2008, em um Webinar que estamos programando para os próximos dias, mas vou fazer um resumo do quanto é perigoso não só a nível de segurança, mas também com a nova Lei de proteção de dados (LGPD) que entrará em vigor no ano de 2020.

Com a globalização da Internet, estamos em tempos em que a imagem de uma empresa se torna um ativo. Sem as garantias de conformidade de compliance  providas pelas atualizações automáticas, existem riscos de sanções legais ou de regulações. Além disso, um banco de dados sem atualizações de segurança, são pratos cheios para invasões e cibercriminosos que  ficam à cassa de vulnerabilidades.

 

No Brasil, já existe a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que semelhante à legislação (GDPR) europeia, também prevê punição para empresas e órgãos que não respeitarem a privacidade dos dados de seus clientes e funcionários, inclusive obrigando-as de divulgarem casos de vazamento de informações.

Já não é mais uma questão de perder clientes, invasão, perda de propriedade intelectual ou reputação: o risco de problemas legais para quem não protege os seus dados será real.

3. Inovação e mais segurança nas novas versões

A Microsoft possui uma Engenharia para melhorar seus produtos a cada versão juntamente com as tendências de novas soluções. Após o 2008, tivemos a versão 2012, 2014, 2016 e 2017 e lançando a versão 2019. Apesar de sabermos algumas limitações que uma empresa possui para atualizar o banco de dados, já passamos de 4 versões e a versão 2008 está totalmente ultrapassada, justificando o fim do suporte Sql server 2008.  Pesquisando sobre o assunto, tem muitas funcionalidades nas novas versões que favorecem backup, busca, armazenamento em disco, memória, nuvem e várias outras features que no 2008 só eram possíveis na versão Enterprise.

Existem ferramentas que varrem seu SQL 2008 para prepará-lo para uma migração como a  Data Migration Assistant (DMA). Essa ferramenta é FREE e procuram por incompatibilidades para migração para novas versões. MAs se sua empresa não pode sonhar em migrar agora, tem algumas opções.

4. Soluções com o fim do suporte SQL 2008

  • Migre seu banco para o AZURE e ganhe mais 3 anos de suporte

Azure, provedora de Cloud computing da Microsoft, dispõe do Banco de Dados SQL. É o que oferece a mais alta compatibilidade com o SQL Server da Microsoft. A Microsoft garante que pouca ou nenhuma alteração no código do aplicativo na Instância Gerenciada do Banco de Dados SQL do Azure serão necessárias na hora da migração. Desta forma é possível migrar para as máquinas do Azure sem grandes problemas.

É possível também migrar para as Máquinas Virtuais do Azure e, com isso, obter mais três anos adicionais de Atualizações de Segurança Estendidas, sem nenhum custo adicional. Você terá mais três anos para aguardar e preparar para uma versão mais recente, quando estiver pronto. A migração é feita por nosso distribuidor autorizado CSP e é bem rápido e seguro. Em outro post Comparativo de cenários migração SQL, é possível ver o melhor custo x benefício para sua empresa.

Baixe a planilha de comparação de custos dos cenários aqui apresentados.

Quanto custa migrar o SQL e ficar protegido_

A outra opção de migração para o Azure, é utilizar as licenças existentes que possuem Software Assurance, que possibilita a economia de até 55% com o Benefício Híbrido do Azure. Desta forma se mantém os 2 ambientes (físico e nuvem) e com suporte do 2008, ou ainda migrando para uma nova versão, mantendo a redundância, proteção e escalabilidade de seu banco de dados.

  • Mantenha sua infraestrutura local, comprando uma nova licença e migrando para versão mais atual. Com o licenciamento por volume é possível fazer downgrade para versões  anteriores. Se não quiser migrar para o 2017 por alguma limitação de infra ou sistemas legados, pode planejar a migração para alguma versão anterior com suporte.
  • Para quem tem contrato Enterprise Agreement, existe a opção de comprar o suporte estendido por ano para as empresas que tem suas limitações em migrar para a nova versão que já tem direito com o Software Assurance, ítem obrigatório do Contrato.

Estas são as únicas opções para ficar protegido com o fim do suporte Sql server 2008. Qualquer coisa fora estes abordados, não tem validade. Algo precisa ser feito e planejado… O que não pode, é ficar como está.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *