Como se preparar para a LGPD?

Tempo de leitura: 3 minutos

Nos últimos anos  a segurança dos dados tem sido um desafio mesmo para empresas envolvidas com alta tecnologia. Empresas como Uber, Facebook, Yahoo, Banco Inter e Netshoes, sofreram ataques e roubos em sua base de dados e foram usados de maneira ilícitas.

Esses acontecimentos alertaram os órgãos reguladores no mundo todo, que não demoraram a tomar a primeira ação de prevenção. Primeiro, foi na Europa, com o GDPR (General Data Protection Regulation). Pouco tempo depois, no Brasil, com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Mas afinal, o que é essa nova lei de dados? Por que ela é tão importante  para sua empresa ? Ela realmente vai afetar o seu dia a dia e a forma com a qual você e seus funcionários lidam com os dados?

O que é a LGPD?

Foi  em maio de 2018 que a União Europeia criou lei a GDPR (General Data Protection Regulation). Essa lei vale para todos os cidadãos europeus e, basicamente, parametriza questões-chave referente ao uso de seus dados por empresas. 3 meses após, o Brasil sancionou a LGPD, a versão brasileira da GDPR. O prazo já foi prorrogado várias vezes, mas agora o prazo final é dezembro de 2020.

Se sua empresa trata informações   pessoais de clientes, fornecedores e colaboradores, ela precisa se enquadrar nesta lei e temos 1 ano para isso. Mas já é possível planejar e ver as opções para isso já que isso envolve investimento.

Nos dias de hoje, qual empresa  não usa estes dados?

Vale lembrar que a LGPD também é aplicada para empresas estrangeiras que tratam dados no Brasil. Para continuar atuando sem problemas, elas precisam provar em contrato que possuem um nível de segurança semelhante ao exigido pela legislação brasileira.

Quais as consequências  no dia a dia? 

Antes de entrar em detalhes, é importante frisar o pior extremo da violação das diretrizes da LGPD. Além das advertências, a empresa pode receber uma multa equivalente a 2% do seu faturamento anual mais recente ou, no máximo, R$ 50 milhões.

Por isso, as empresas  precisarão ficar muito atentas ao trato dos dados pessoais daqui para frente. Lembrando que não falamos apenas de clientes, mas também de fornecedores e colaboradores.

Hoje em dia, a rotina que envolve o dia a dia das empresas é repleta de trocas de informações: E-mails, fichas cadastrais, listas de materiais, contratos, assinaturas digitais, senhas, valores e muito mais.

Alguns softwares de gestão trazem também a possibilidade de criar políticas de privacidade de dados e grupos de equipes com a centralização de documentos, backup e permissões.

Uma das principais indicações é que, para funcionários que vão à campo como para os que ficam em escritório, o uso de dispositivos (notebooks, celulares e mesmo o acesso a sites na Internet) precisa ser mais prudente. Um clique errado e ele pode estar levando um vírus para seu ambiente digital ou abrindo a porta para um hacker. O ideal é usar programas monitorados por uma TI. Se não tiver certeza que os computadores, o programa usado ou o ambiente inteiro estão protegidos, talvez seja hora de rever as diretrizes de segurança da sua empresa e começar a adequá-la o quanto antes.

Quer saber como iniciar as ações para se adequar à LGPD?  Mande uma mensagem pra gente. Temos algumas dicas e soluções pra atender uma boa parte destas exigências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *